27 de janeiro de 2009

L, de L.A.M.B.

Celebrity Fragrance - L, de L.A.M.B.


Eu sempre gostei de Gwen Stefani - seja em solo, com os "old fellas" do No Doubt, ou acompanhada pelas saltitantes Harajuku girls. Gwen sempre consegue imprimir a "sassy attitude", pelo seu universo colorido e pela mistura de glamour antigo e modernidade urbana.

Quando Miss Stefani lançou seu primeiro perfume no ano de 2007, em parceria com o gigante Coty, eu esperava algo original. Comercial (afinal, o que esperar de Coty?), mas uma fragrância que entrasse em harmonia com sua linha de roupas, L.A.M.B. (iniciais de Love, Angel, Music, Baby), no mercado desde 2004 - algo jovem e vibrante, com uma faceta inconvencional.

Tão logo a fragrância aterrissou nas prateleiras das lojas americanas, apressei-me em pedir a uma amiga que me enviasse um estojo de eau-de-toilette e loção corporal, sem nem ao menos tê-la testado. Quando recebi a encomenda, imediatamente abri o pacote, e um odor muito familiar chegou às minhas narinas.

A nota principal foi pêra, seguida quase imediatamente por uma onda de pêssegos. Um toque de almíscar veio logo depois, e... mais nada. A sensação de familiaridade era cada vez maior. E então, finalmente a luz... Maybe Baby!! Os que conhecem a fragrância da marca americana Benefit, lançada em 2003, podem atestar a similaridade. Testei ambas, uma em cada braço, e a semelhança é inegável.

Um pouco mais de ousadia da parte de Harry Fremont*, perfumista responsável por L. de L.A.M.B, e criador de três perfumes ganhadores de FiFi Awards, seria bem-vinda, bem como o mínimo de originalidade. Porém, não tenho como negar que gosto de L, da mesma maneira que gosto de Maybe Baby.

A grande diferença entre as fragrâncias é a nota secundária de damasco para Maybe Baby, enquanto a pêra é a co-estrela de L. O pêssego é presente em ambas, bem como o fundo almiscarado. Outro ponto divergente é o poder de fixação - L. vencendo implacavelmente Maybe Baby nesse quesito. No entanto, o resultado final é extremamente parecido.

Prestando mais atenção, pude sentir uma nota de freesia, e um certo toque de jasmim, rosas e jacinto. Um aroma jovem, fresco e controladamente doce, que parece visar uma faixa etária na casa dos 20.

Deixo, entretanto, meu ponto positivo para L. Ponto positivo pelo caráter bem-humorado e descomplicado da fragrância, que, nesse lado, reflete a personalidade de Gwen. Outro ponto positivo para o frasco, com suas cores de inspiração rasta. No mais, um grande uuuu no setor originalidade. Seria demais pedir um pouco de diferenciação? A resposta é maybe, baby!



* Fifi Awards - O oscar da perfumaria. Premiação anual que visa recompensar os melhores lançamentos em várias modalidades. Três dos perfumes criados por Harry Fremont foram vencedores de FiFis, sendo: Juicy Couture (em 2007), Kenneth Cole Black (prêmio de melhor fragrância luxo masculina, em 2004) e Vera Wang (melhor fragrância feminina "nouveau niche", em 2003).

Ilustrações ~ à direita - Twins - calendário vintage
~ à esquerda -
Gwen Stefani - imagem de publicidade de L., by L.A.M.B.



2 comentários:

+ Q Perfume disse...

Aaaaahhh oque eu faria sem você!
Este artigo "made my day" literalmente.
Amei amei amei.
Precisamos conversar!!
Assunto sério sobre perfumaria e etc....

Gaëlle disse...

Obrigada querida!! Estava morrendo de saudades de você!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin