23 de agosto de 2009

Just Cavalli Pink


Just Cavalli Pink



Autora: Cris Sampaio


Há tempos eu buscava um perfume dotado de uma nota de pêssego aveludada que não fosse doce demais, obviamente sintética, nem lembrasse shampoo ou algum cosmético. Já havia sentido vários, sem êxito na busca, até que conheci Just Cavalli Pink - mais uma obra do expert Olivier Cresp, autor de sucessos como Amarige, Angel, Kenzo Amour, Midnight Poison, entre tantos outros.

No momento em que coloquei-o na pele, senti o aroma que almejava, e lembrei do "pêssego de veludo", como chamava na infância essa fruta que adoro - um aroma mais "rascante", como um espumante de pêssegos. Sua saída frutal vem acompanhada do cheiro dos hibiscos e lírios, e, até no coração, distingo a nota do sumo da fruta. Em sua evolução, percebo o frescor do rosa acompanhado do almíscar doce que perdura até o fim, conferindo um ar levemente atalcado. Seu drydown tem um amadeirado macio, suavizado pelo âmbar. Assim que adquiri o meu, escolhi um dia lindo e coloquei para a comprovação de tudo que tinha achado com a amostra. A fixação é muito boa para uma fragrância que não é densa e tem apelo frutal. Just Cavalli Pink entrou para minha coleção como um dos indispensáveis.

Roberto Cavalli apostou em uma propaganda bem jovial no lançamento conjunto do Blue, masculino, e do Pink. Na foto da publicidade, ao fundo, vemos as praias de Ipanema e Leblon. Uma homenagem ao Brasil, e mais precisamente ao Rio de Janeiro, onde o estilista tem um público fiel. Impossível não lembrar da música de Tom e Vinícius que saiu de uma mesa de bar, em 1962, direto para o mundo, marcando uma geração. Essa homenagem, originalmente destinada a Helô Pinheiro, estende-se a Vera Fischer e a todas as mulheres brasileiras. Uma canção que poderia mesmo ser de Naomi Campbell, que adotou a cidade como seu segundo lar.

Garota de Ipanema, cantada até por Sinatra, imortalizou o local para sempre. Um bairro mágico que virou cartão postal do Brasil, abrigando tanto um espaço de abundante exuberância natural, quanto um charmoso pólo de grifes de alta-costura, com a paisagem que delineia as curvas da mulher.

Just Cavalli Pink é, sem dúvida, um perfume com a cara do Rio. Uma fragrância que condiz com o jeito espontâneo do seu povo, seu estilo descontraído, casual, naturalmente elegante e alegre. Um perfume que soube atingir não apenas os jovens de idade, mas os jovens de espírito.



Garota de Ipanema - Letra: Tom Jobim e Vinícius de Moraes / Intérprete: Frank Sinatra
(clique na seta para ouvir a canção)






Ilustrações ~ ao alto - Imagem de campanha de Just Cavalli Pink e Blue
~ à direita - Vista diurna de Ipanema
~ à esquerda - The Girl from Ipanema - crédito: armandfrasco.typepad.com





5 comentários:

Perfumes Bighouse disse...

Oi Cris. Que adorável descrição. Passei a ver Just Cavalli com outros olhos ( ou nariz ) após sua descrição. Realmente é um floral frutal bem construído. Beijocas

Luciana M. disse...

Oi Cris e NelNel!!!

Adorei a parceria de vcs. Com duas mulheres finas de de extremo bom gosto não poderia ficar mais agradável o Perfumes & etc!!!

Parabéns especial a Cris, adorei a objetividade da resenha, sem deixar de lado um estilo bem solto de escrever ;-)

Cris (Maria Cristina) disse...

Beth, o Her não me encantou, mas o Pink foi na mosca ;)
Obrigda, madrinh, bjsss perfumados!

Luciana, muito obrigada :)
Bjsss perfumados!

+ Q PERFUME disse...

Será? Vou precisar experimentar... eu sempre suspeito das notas de pessêgo...tenho uma relação complicada com elas...nunca consigo achar uma...
Adorei essa pitada nova do blog!!
Tô com saudades!!!!!

Um beijo para a garota da Bélgica (hahaha)

Gaëlle disse...

Oi Simone!

Saudades de você também :-)
A menina da Bélgica está morrendo de vontade de rever Ipanema - rsrsrs

Beijinhos mil.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin