29 de setembro de 2009

Parisienne


Parisienne


Anúncios de lançamentos futuros sempre despertam a minha curiosidade. Alguns criam um verdadeiro suspense, seja pela proposta singular ou pela reputação de seu criador. Outros são ansiosamente esperados apenas pela novidade que antecipam. Parisienne situava-se nas duas categorias.

Desenvolvida por Sophie Labbé, em colaboração com Sophia Grojsman, autora de Paris, a nova fragrância de Yves Saint Laurent prometia um toque de diversidade ao ambiente banal da perfumaria atual. O nome, Parisienne, parecia sugerir uma variação do sucesso de Madame Grojsman, idéia reforçada pelo formato do frasco e centralização da fragrância em torno do duo rosa-violeta. Acostumada com as declinações para a primavera (Jardins Romantiques, Pont des Amours, Roses de Bois...), eu esperava uma adaptação modernizada e outonal, devido a data de lançamento no Hemisfério Norte.

A toda grande idealização segue-se uma enorme decepção, o que foi o caso com Parisienne. Ao invés da esperada alquimia de rosas e violetas, fui surpreendida por uma abertura frutal, aonde amoras e uvas-do-monte mesclavam-se a um toque delicado de peônias. A junção de frutas vermelhas a um acordo floral fresco lembrou-me imediatamente outra fragrância da marca, Baby Doll. Porém, enquanto Baby Doll aprofunda-se no aspecto frutal/fresco, Parisienne tenta mostrar-se mais adulto, integrando notas de couro e patchuli. A rosa damascena e a violeta fazem-se timidamente sentir, sendo, entretanto, subjugadas pelo caráter doce da abertura, que mantem-se firme até o fim. A suavidade proporcionada pela peônia é perdida em prol do sândalo, e o conjunto passa de frutal/fresco a frutal/pungente.

A confusa campanha publicitária mostra a very British Kate Moss, exageradamente maquiada e vestida de secretária Nova Yorkina em dia de festa, procurando evocar a imagem de uma parisiense (de nascimento ou espírito). De certa forma, a imagem divulgada corresponde exatamente à fragrância. Em ambos os casos, exemplos perfeitos de direcionamento oposto à realidade.

John Christian Bovee costumava dizer que desilusões são tão necessárias à felicidade, quanto a realidade em si*. Pensando assim, a esperança de um futuro venturoso para o setor de perfumaria da maison Yves Saint Laurent resta intacta.




* Citação - "No man is happy without a delusion of some kind. Delusions are as necessary to our happiness as realities." John Christian Bovee

Ilustrações ~ à direita - imagem da campanha publicitária de Parisienne, com Kate Moss
~ à esquerda - capa do livro "Comment devenir une vraie Parisienne » (Como tornar-se uma verdadeira parisiense), de Hélène e Irène Lurçat - Éditions Parigramme





3 comentários:

Perfumes Bighouse disse...

Oi Flor !
Realmente, parece decepcionante. Também fiquei encantada com a proposta deste novo perfume.
Paris sempre é um apelo irresístivel,e esperava mais apesar dos inúmeros comentários que ouvi a respeito do frasco e suas semelhanças com outro perfiume conhecido.
Achei a campanha um pouco exagerada mas a modelo é bonita, e as rosa mostradas são mais ainda.
Ainda estou louca para provar nem que seja para concordar com você. Beijocas.Elisabeth

Luz disse...

Nao consigo gostar de nenhum perfume YSL. Alguns sao muito "fechados" e outros simplesmente nao em dizem nada. Este enquadra-se na segunda categoria. Senti rosas evidentes misturadas a um blend delicado, mas nada memoravel. Queria muito um perfume da YSL... quem sabe algum dia...

Gaëlle disse...

Betty querida,

A possível semelhança com Paris foi o meu "canto da sereia". E eu acabei arrebentando o meu barquinho nos rochedos - rsrsrs.
O frasco é lindo, concordo!
Espero que possamos trocar impressões em breve :0)

Mil beijos!

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Oi Luz!

Que bom ver-te por aqui!
Eu considero algumas fragrâncias YSL extremamente bem elaboradas, verdadeiros marcos na perfumaria. Apesar de não se enquadrarem nos parâmetros do meu gosto pessoal, admiro Opium, Yveresse (o antigo Champagne), Rive Gauche, Paris... Porém, tive uma experiência decepcionante com Parisienne. Como no teu caso, o perfume "não me disse nada" - rsrsrs

Blog Widget by LinkWithin