22 de dezembro de 2008

Nuit de Noël


Caron - Nuit de Noël


Nuit de Noël, além do nome mágico, carrega em si uma linda história de amor.

Em 1904, Ernest Daltroff abriu sua boutique no n° 10 da rue de la Paix, em Paris. No mesmo prédio habitava uma jovem modista, Félicie Wanpouille (Félice Eugenie Amelie Wanpouille), e o amor não demorou a nascer entre os dois.

Em 1906, Félicie torna-se parte da empresa Caron, colaborando com o design de frascos e embalagens, e trabalhando como diretora artística. Félicie foi também a musa inspiradora de vários perfumes da marca.

No ano de 1922, Ernest, de origem judaico-russa, resolve oferecer a Mademoiselle Wanpouille, grande apaixonada por festas de Natal, o poético Nuit de Noël (Noite de Natal).

A fragrância segue a moda do floral aldeídico, que fez furor com o lançamento de Chanel 5, no ano precedente.

A idéia inicial é de evocar uma noite de natal. No entanto, eu relaciono noites de natal européias ao cheiro de pout-pourri, ao vinho quente com canela, aos quitutes saindo do forno, enfim, a um aroma doce, temperado por especiarias. E Nuit de Noël não conseguiu me transportar ao esperado Natal gourmand. Ao invés disso, fui projetada a um inverno frio e sofisticado dos anos 20, pelo odor atalcado de rosas, íris e ylang-ylang, num fundo amadeirado de sândalo. Posso detectar um leve toque de baunilha, mas a impressão geral é um odor floral oriental aldeídico, com algumas especiarias surgindo no fundo amadeirado, e um toque de Mousse de Saxe.

Como Félicie Wanpouille, eu sou uma grande apaixonada pelo clima feérico de Natal. Tenho que confessar que a grande atração para mim não é o perfume em si, mas o nome e a história do mesmo - história que não teve o happy-end esperado.

Em 1939, Ernest viaja ao Canada, e termina por instalar-se nos Estados Unidos, fugindo da ocupação nazista.

Os dois amantes nunca se casaram, e mais de 30 anos após terem se encontrado pela primeira vez, em 1940, Félicie une-se a Jean Bergaud, e torna-se Madame Bergaud.

Porém, nenhuma guerra poderia apagar a lembrança de Natais celebrados sob o signo da paixão, e a memória de uma bela e distante Nuit de Noël.



Ilustração à direita - Christmas couple - cartão ~ cerca 1920
Ilustração à esquerda - The Night Before Christmas, de Thomas Kinkade




4 comentários:

Alice disse...

Eu adoro ler os seus posts, e não passo um dia sem visitar o blog. Os textos são bem escritos e pode-se perceber que você realmente sabe do que esta falando. Parabéns!

Gaëlle disse...

Querida Alice,


Você não imagina o prazer que tive ao ler as tuas palavras. Obrigada!!

Mil beijos,


Gaëlle.

Pável Henry disse...

Super emocionante... Linda resenhas!
Adoraria conhecer este perfume!
P/ mim, cheiro de Natal tem o Oh! de Moschino, com uma saída terrosa e quase que suculenta ao mesmo tempo, um perfumes de nozes recém "quebradas"... com uma evolução aconchegante e morna!
>.<

Gaëlle disse...

Pável, que delícia receber-te no Perfumes & Etc!
Acho que você ficaria um tantinho decepcionado com Nuit de Noël. Eu adoro a história da fragrância, porém ela não me evoca o odor de Natal.
Imagine ylang + rosas em fundo atalcado. Retrô sim, Natalino não :0)

Para os leitores que estejam vagueando por estas páginas - Pável tem um talento extraordinário e faz excelentes resenhas no site Fragrantica! Quando passarem por lá, não deixem de conferí-las.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin