7 de maio de 2009

Trouble



Trouble

Autor: Leo Hegg


Trouble foi introduzido em 2004 por Boucheron, uma joalheira francesa de alto luxo, que há mais de 150 anos vem encantando a todos com suas exuberantes criações reproduzindo flores, pássaros e outros animais, característica mantida até hoje em suas coleções.

Em 1988, Boucheron expandiu o seu domínio às fragrâncias, todas com frascos inspirados pelas jóias da marca. Assim vieram Boucheron (1988), lembrando um anel e Boucheron Pour Homme (1991), cujo tema foi a forma retangular dos relógios masculinos. Jaipur (1994) inovou com seu formato de bracelete, e a edição Saphir (1999) rendeu homenagem a safira azul de Kashemir. Por fim, Inital (2000), fazendo apelo às pérolas e Trouble, dedicado ao rubi e as jóias em forma de serpente da maison, além dos lançamentos subseqüentes.

Limão, jasmim das Arábias (sambac), dedaleira (digitalis purpurea), âmbar, cedro azul e baunilha - Dessa composição relativamente simples surgiu um dos perfumes mais bem construídos dos últimos tempos, na minha opinião. Seu frasco evoca a pura sensualidade, em tom vermelho intenso. A tampa em forma de serpente alerta, aí está o verdadeiro elixir da sedução.

O frasco fala pela fragrância antes que a borrifemos. O estilo Art Déco e a cor quente antecipam um perfume de contrastes, mas também de uma profunda simplicidade, característica da escola de artes. A tampa (que, dependendo da edição, é composta por duas serpentes mordendo uma imitação de esmeralda, ou a mesma pedra decorando os olhos de uma única serpente) é a prova máxima da perícia da joalheria, e tal qual um adorno, previne-nos que ali encontra-se algo precioso, único e absolutamente sexy.

E o jus condiz com tudo isso? Ao borrifar Trouble, a primeira coisa que percebemos é o jasmim sambac envolto por um toque seco e amargo de limão, formando um arranjo extremamente energético, e preparando-nos para o festival de sensualidade que virá a seguir. As notas cítricas perdem a forca, permanecendo distantes a permear a fragrância, ora em ondas de calor intenso, ora tímidas. O jasmim reina então como nota central, a partir da qual o perfume é construído. Inebriante e perturbadora com seu cheiro pungente e carnal, a flor deixa uma sillage envolvente.

O fundo é o palco aonde Trouble encena suas artes, a cama, destino final dos amantes. Aqui o âmbar, o cedro azul e um aveludado e discreto toque de baunilha, envolvem o jasmim tal qual um tecido de cachemire envolve a pele.

Inegavelmente simples, mas nem por isso menos intoxicante e perigoso, Trouble é capaz de deixar lembranças eternamente gravadas na memória de quem deixar-se envolver por seu aroma único e sedutor. Usufrua com moderação.


Ilustrações ~ à direita - The Nude Snake Charmer, de Paul Trouillebert (1829-1900) - pintor da escola de Barbizon (école de Barbizon)
~ à esquerda - vista da boutique Boucheron - Place Vendôme, Paris, França



8 comentários:

Elisabeth disse...

Olá Leo.
Adorei a sua exposição.
vc conseguiu abordar todos os aspectos interessantes de Trouble, de maneira completa e elegante.
Adoro ler sobre o histórico dos perfumes, das maisons . E Trouble é exatamente assim. Uma delícia a nos envolver.Parabéns pelo belo trabalho colaborando no blog da nossa amiga Nelci.Um beijo. Betty

Vanja disse...

Oi, Gaëlle, acho essa fragrância muito boa, mais jasmim (sambac), baunilha e cedro, adoro esse perfume. Enquanto lia a descrição de Leo Hegg, muito interessante, borrifei um pouco no pulso direito e ia sentindo-a... Ah, muito bom esse perfume, de fixação mediana (As pessoas me perguntam sobre ele quando já não o estou sentindo mais... Outros perfumes sinto até além das pessoas... Interessante isso, não é? Por mais que se explique sobre os motivos da fixação das fragrâncias, sempre há algumas peculiaridades próprias no sentir das pessoas, mesmo isso, também, sendo explicado, mas Trouble (Frasco lindo!) dá para aproveitar por um bom tempo após o passarmos. Hum!
Um beijo,

Vanja
P.S.: Nelci é você mesma?

Mr.Heggendorn disse...

Olá Beth,
Obrigado pelos elogios! Sinceramente, foi fácil falar do Trouble, um perfume
que nao encantou-me a primeira vista, confesso! Entretanto, quando senti a
evoluçao, adorei-o! Agora ele tem lugar cativo na minha coleçao.
Beijos e continue com o blog maravilhoso!

Luciana disse...

Que bela estréia hein Leo?!! Adorei o post. Parabéns!

Gaëlle disse...

Oi Vanja!

Que bom ver-te por aqui!
Você sabe que a review do Leo deu-me vontade de testar novamente Trouble?! Quando uma review faz-nos tirar uma fragrância do fundo do armário, é sinal de que foi bem-sucedida (rsrsrs).

Mil beijinhos.

Gaëlle disse...

Luciana querida,

Obrigada pela visita!
O Leo vai ficar super feliz com o teu comentário e todo o carinho.

PS - Aos leitores que estejam acompanhando esta página - A Luciana é autora de um blog maravilhoso, o Notas Perfumadas (listado nos links favoritos do Perfumes & Etc).

Moisés Lara disse...

Jasmim das Arábias, cedro, âmbar e baunilha. Uma combinação explosiva, de ótimos efeitos, mas para ser usada com parcimônia!

Parabéns!

Gaëlle disse...

Oi Moisés!

Que prazer em vê-lo por aqui!
Obrigada por reforçar a última frase do Leo, e citar novamente os ingredientes :0) Realmente, Trouble deve ser usado com moderação, caso contrário "it's trouble" (rsrsrs).

Um grande abraço!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin